ERPs orientados para OPERAÇÕES ou para PROCESSOS?

22/09/20

Muitos são os sistemas ERPs ofertados no mercado, cada um deles tem sua aplicação e um custo, mas como saber qual é o mais indicado para sua empresa.

Comparar soluções diferentes não é tarefa fácil para as áreas de TI das empresas, pois existem diferenças importantes entre as soluções e o que parece igual tem propósito e entrega diferente, um ponto sutil, mas que precisa ser entendido e levado em consideração.

Basicamente, existem 2 tipos de sistemas de ERP;

  • Orientados a operações, normalmente mais generalistas
  • Orientados a processos, que por sua natureza deve ser especialistas

Os sistemas ERPs orientados para operações são os mais comuns, atendem muito bem as operações de BackOffice de uma empresa, como: comprar, vender, faturar, controlar a parte financeira, contas a pagar e receber, estoques, dentre outros.

De modo geral, o ERP voltado a operação é mais engessado e menos flexível a mudança, isto se deve ao fato de o sistema ser utilizado por um vasto número de empresas de diversos segmentos. Uma saída utilizada por estes ERPs para contornar a falta de especialidade é permitir a customização pelo próprio cliente. Isto pode ser atrativo em um primeiro momento, mas precisa ser muito bem pensado, pois gera custos contínuos mais altos e uma dependência de desenvolvimento interno.

Entretanto, empresas com processos mais complexos ou específicos têm dificuldades em serem atendidas por um sistema ERP orientado para operação. Estes sistemas estabelecem um nível superficial de controle dos processos, sendo necessário complementar através de customização, controles manuais, sistemas paralelos e/ou planilhas eletrônicas, que não estarão integrados ao sistema principal.

O efeito negativo, são dados com nível de acuracidade duvidosos e muitos processos manuais, dificultando a rapidez e a tomada de decisão baseada nas informações. Além disso, de modo geral, os processos de muitas empresas são morosos, principalmente os relacionados as atividades de manufatura da empresa.

Já os sistemas ERPs orientados para processos, tem estruturas produtivas muito mais flexíveis para permitir atender a processos específicos e com Know How próprio. Com eles, as empresas tendem a alcançar um nível de eficiência mais elevado. Além de atender as principais operações da empresa, permite configurar seu fluxo operacional para atender processos e regras de negócios bem específicos. Isto eleva consideravelmente o nível de controle, agilizando os processos, gerando mais velocidade e um menor custo operacional.

Sistemas orientados para processos permitem customização e são muito mais detalhistas em seus controles e processos. Claro que isto irá acarretar mais horas no momento da implementação do sistema e por consequência um custo mais elevado no primeiro momento. Contudo, em curto e médio prazo os resultados obtidos são superiores em eficiência, produtividade e na redução de custos.

O fato é que os sistemas ERPs orientados para processos suportam o negócio de forma mais consistente, entregando ganhos muito significativos logo após a implementação. Sua empresa ficará ainda mais eficiente e competitiva revendo e melhorando os processos existentes.

Nossas soluções ERPs são voltadas a processos e com especialidade no seu negócio!

 

Conheça mais sobre nossas soluções.

 

 

 

 

 

 

Compartilhe